W G C

Sistemas

Como gestor você já se perguntou qual é o seu principal papel dentro da organização?

Em algum momento fica em dúvida sobre qual deveria ser o seu maior foco?

São tantas as qualidades desejadas e faladas que um ótimo gestor deveria ter, não é mesmo?

Sem esquecer ainda da principal razão da existência de qualquer empresa – produzir resultados.

Por estas e tantas outras dúvidas e questões do dia a dia, resolvemos escrever este artigo para tentar trazer de forma simples e objetiva, dicas essenciais para que você como gestor, entre para o seleto time de verdadeiros gestores empresariais.

1. Foco em resultados globais e não em processos isolados – como parte da alta gestão de uma organização , você deve focar primeiramente nos resultados globais. Os resultados relativos à processos isolados devem ser tratados pelo seu time de gestores operacionais. A você cabe a missão de aproveitar melhor o potencial incrível de realização existente na empresa para satisfazer primeiramente aos clientes, sem esquecer dos empregados, fornecedores, acionistas e a sociedade como um todo.

2. Integrar ações em toda a empresa para alcançar os objetivos empresariais – É claro que não podemos nos esquecer que isso acontece desde o mais simples colaborador até o mais graduado, mas a responsabilidade pelo sucesso ou fracasso é exclusiva dos dirigentes. Se como líder a comunicação e a motivação forem deficientes, tudo mais o será.

3. Pratique a gestão participativa – Um negócio deve ser visto como um conjunto integrado de operações, envolvendo recursos humanos, materiais e financeiros, destinados a produzir resultados satisfatórios. Compartilhar esta visão, facilita na compreensão de todos os envolvidos e dos fatores relevantes ao desempenho (inclusive fatores externos).

4. Além de saber fazer é necessário que as pessoas queiram fazer – Mais uma vez a importância do estilo participativo de gestão, melhora muito o ambiente de trabalho e gera engajamento e motivação dos colaboradores, que desta forma, comprovadamente, realizam muito mais e melhor.

5. Gestão voltada para resultados só funciona se alcançar todos os integrantes da organização – Como principal executivo você tem que trazer esta filosofia, mas devidamente respaldada pela consistência da prática no dia-a-dia. Seu comportamento deve ser contínuo na busca pela disseminação desta cultura.

Quando alguém diz que uma empresa teve bons resultados, geralmente está querendo dizer que esta empresa teve bons lucros. Esta é naturalmente uma maneira bem simplificada para se falar de desempenho de uma empresa. Alguns resultados representam mais facilmente a visão direta e clara do sucesso alcançado, tais como: retorno sobre investimento, lucro e geração de caixa. Mas ainda existem outros resultados que não são lidos diretamente em um balanço, mas nem por isso menos importantes, tais como a imagem da empresa junto ao mercado e o clima organizacional.

Observe que falamos muito em resultados e no fundamental papel que um gestor tem na condução de um negócio, rumo a obtenção destes resultados. A escolha de quais resultados é significativa a cada empresa e depende do negócio em que ela atua, do ambiente externo a que está sujeita, e dos recursos que dispõem. Todavia, eles estarão sempre relacionados à satisfação dos propósitos pelos quais ela foi constituída.

Lembre-se: o propósito primordial de qualquer organização é satisfazer pessoas – sejam os acionistas e/ou a sociedade. Mas isso, invariavelmente depende da satisfação de outras pessoas como clientes, empregados e fornecedores.

Conclusão: Os resultados qualificam ou medem o desempenho de uma empresa, e por consequência, da sua administração. As metas, além de representarem um estímulo a melhorias em todas as áreas, configurarão um contrato de resultados dos respectivos responsáveis com a empresa.

Por Ricardo Dias Pimenta – Sócio-Diretor da Pimenta & Associados, Desenvolvimento Empresarial.

 

Sobre Ricardo Dias Pimenta:

“Professor associado da Fundação Dom Cabral, nas áreas de gestão geral e estratégia empresarial. Mestrado em Administração de Empresas pela PUCMINAS e graduação em engenharia mecânica pela UFMG. Na Fundação Dom Cabral, atuou por muitos anos como gerente de projetos educacionais para empresas de todos os portes no Brasil e exterior. Ocupou a posição de principal executivo financeiro da instituição entre 2000/04 e dirigiu por 5 anos o programa PGA – Programa de Gestão Avançada, realizado pela FDC e o INSEAD na França e destinado a executivos de topo de grandes empresas. Iniciou sua carreira no grupo Mendes Junior na área de finanças corporativas e depois, como dirigente da Miami Trading Enterprises Inc., trading do grupo Mendes Júnior, em Miami, EUA”.

Posts Relacionados

Deixe um Comentário